A revolução que poderia ter acontecido

Em 1974, o programa Panorama da BBC dedicou uma edição ao ciclismo como meio de transporte na Inglaterra. “Diante das alternativas de aumento do caos no trânsito de um lado ou a falta de combustível do outro”, dizia o repórter, “os pedais vem se tornando cada vez mais atrativos. Pode até significar que nossas cidades reencontrem sua dimensão humana. Afinal de contas não é fácil se relacionar com outros seres humanos quando eles estão trancados em caixas de aço”. A crise do petróleo foi substituida pelo boom do Mar do Norte e os planos revolucionários foram arquivados. Mas finalmente agora, 40 anos depois, uma breve comparação das ruas nos informa que sim, a revolução anunciada nos anos … Continue reading A revolução que poderia ter acontecido

Como reduzir as ruas pode ajudar a reduzir os congestionamentos

Publicado originalmente em inglês no The New Zealand Herald, em 9 de setembro de 2014. Dr. Jamie Hosking Todos odiamos congestionamentos. A resposta habitual para as ruas congestionadas na Nova Zelândia, especialmente em Auckland, é alargar a via congestionada – transformar uma estrada de duas pistas em quatro. Embora à primeira vista pareça fazer sentido, essa não é a única solução, nem a melhor. A construção de mais estradas em resposta ao congestionamento é muitas vezes comparado a … Continue reading Como reduzir as ruas pode ajudar a reduzir os congestionamentos

Mantenha-se seguro

Dicas de segurança para ciclistas publicadas no diário The Independent no último dia 14 de novembro. O texto é uma resposta a uma série de mortes de ciclistas, cinco no total, iniciada no dia 5 de novembro, em Londres. Todas elas envolvendo colisões com caminhões ou ônibus. O que chocou no caso específico desses nove dias é que não há precedentes para tantas mortes de ciclistas na cidade. Os últimos 3 anos contabilizaram uma média pouco maior que uma morte por mês em Londres, sendo 2011 o ano com maior fatalidades: 16 no total.

Obviamente que essa lista não esgota medidas de segurança – nem mesmo pode ser tratada como unânime (o ponto oito é bastante controverso), mas relembrar certas atitudes necessárias nunca é demais.

1 Evite caminhões
Nunca espere entre o meio-fio e um caminhão parado próximo a um cruzamento. Se ele dobrar à direita, pode ser que o motorista não o veja. Fique atrás ou, de preferência, na frente, onde você pode ser visto. Continue reading “Mantenha-se seguro”

Eu não sou um ciclista

por Chris Bruntlett (*)

Por favor, permita-me tirar uma coisa de dentro do peito: eu odeio quando alguém se refere a mim como um “ciclista”. A expressão “ávido ciclista” é ainda pior. Eu não sou mais ávido ciclista do que eu sou ávido caminhante ou ávido por comida. Eu sou alguém que muitas vezes usa uma bicicleta, simplesmente porque é a maneira mais civilizada, eficiente, agradável e econômica para me locomover pela minha cidade. Ainda que dependa do clima, carga, tempo e natureza da viagem que eu estou fazendo. Além de possuir uma bicicleta, eu também sou sócio de uma cooperativa de compartilhamento de automóveis, sou usuário de transporte público, e possuo muitos pares de sapatos. A bicicleta é apenas um meio para um fim. É uma ferramenta que não me transforma em um ciclista, mais do que limpar meu apartamento me transforma em um faxineiro, ou escovar os dentes me transforma em um especialista em higiene dental. Continue reading “Eu não sou um ciclista”

“Coloque um saco plástico na cabeça e aperte firme no pescoço”

Diante da proposta do governo britânico de aumentar de 17 para 18 anos a idade mínima para dirigir no país, aumentando também o grau de exigência para os novos motoristas, o diário The Guardian publicou nessa sexta-feira um texto onde relata alguns dos métodos empregados para se habilitar novos motoristas em diferentes países: Egito – “Egípcios que querem pegar no volante apenas precisavam provar que … Continue reading “Coloque um saco plástico na cabeça e aperte firme no pescoço”